Alunos de Direito da Seune atuarão no Centro Judiciário de Solução de Conflitos

O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) e a Faculdade Seune firmaram, nesta quinta-feira (30), convênio que vai possibilitar aos alunos de Direito da instituição atuarem no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), que funciona no Fórum da Capital. Os estudantes acompanharão as audiências e terão mais contato com as práticas de conciliação e mediação na unidade.

De acordo com o juiz José Miranda Santos Júnior, coordenador-geral do Cejusc, os estudantes devem auxiliar nos trabalhos da unidade já a partir do mês que vem. “A faculdade vai lançar edital interno e verificar quem tem interesse em participar. Acredito que no final de setembro os alunos já estejam no Cejusc”, afirmou o magistrado, ressaltando que a parceria vai possibilitar aos futuros bacharéis de Direito um importante aprendizado.

“É fundamental inserir os alunos na prática jurídica e fazer com que tenham a experiência de conviver com a conciliação e a mediação”, disse.

Para a coordenadora do Núcleo de Práticas Jurídicas da Seune, Celina Bravo, os estudantes devem ter mais contato com os métodos alternativos de solução de conflitos. “A conciliação é um método moderno de dirimir conflitos e essa é a tônica do nosso Código de Processo Civil atual”, explicou.

A coordenadora destacou ainda que a parceria com o Tribunal deve contemplar estudantes a partir do sexto período. “Vamos tentar abranger o maior número possível de alunos no projeto”.

Outras parcerias

Além da Seune, o TJAL já possui parceria com outras seis instituições de ensino (Uninassau, Unit, Cesmac, Estácio Fal, Raimundo Marinho, Fama) e com a Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ/AL). De acordo com o desembargador Tutmés Airan, coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), o projeto será levado também ao interior do estado.

“Já estamos montando um projeto de ampliação, com a criação de centros de conciliação nas principais cidades de Alagoas. É muito possível que esse trabalho comece em Palmeira dos Índios. A ideia é montar lá um Cejusc ligado à execução fiscal e à área da saúde. Também devemos ter um modelo igual em Arapiraca e estamos tendo conversas para levar um Cejusc para São Miguel dos Campos”, afirmou.

Ascom – 30/08/2018

(Visited 1 times, 1 visits today)