MP tem “rosário de crimes” cometidos por família Abrahão Moura

Em consulta aos procedimentos investigativos instaurados pelo Ministério Público Estadual (MPE), é possível ver que o ex-prefeito de Paripueira, Abrahão Moura, não resiste a uma semana de investigação.

Num trabalho sério pelo cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal e das Licitações, ele e a esposa, Emanuelle Moura teriam que devolver muito dinheiro aos cofres públicos e correriam o risco de ser presos por improbidade.

O levantamento revela que o MPE recomendou a instauração de dez procedimentos investigativos contra Abrahão Moura, sendo a maioria por “dano erário”. Uma forma técnica de o MPE dizer que há suspeita do desvio de dinheiro público ou da aplicação de forma ilegal de recursos do Município.

No entanto, Abrahão Moura ainda aparece em mandado de segurança, notícia do fato e inquérito civil. Nos casos de Abrahão Moura, apenas o mandado de segurança se refere ao exercício de 2018. Os demais procedimentos são de 2017.

Contra Emanuelle Moura há dois procedimentos, sendo um procedimento preparatório por enriquecimento ilícito, instaurado em maio deste ano, e outro que trata de imbróglio com a imprensa.

Veja comprovação:

Com A Notícia.

(Visited 1 times, 1 visits today)