Rede estadual tem o melhor desempenho de AL na Olimpíada Brasileira de Matemática

A rede estadual de Alagoas registrou seu melhor desempenho na história da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Pela primeira vez, em quinze anos de história da Olimpíada, a rede estadual teve dois alunos seus conquistando medalhas de ouro em uma mesma edição. Até então, as escolas estaduais só haviam conquistado um ouro em 2008 e outro em 2016. O resultado final da edição 2019 da OBMEP foi divulgado nessa terça-feira (3) pelo site www.obmep.org.br e, ao todo, Alagoas conquistou 89 medalhas e 610 Menções Honrosas na competição.

Das 89 medalhas alagoanas, 81 são da rede pública e 8 da particular – das quais, 78 bronzes, 7 pratas e 4 ouros. Os quatro ouros alagoanos foram conquistados por estudantes de Maceió: João Victor Silva dos Santos, da Escola Estadual Padre Cabral; Jeann da Rocha Silva, da Escola Estadual Margarez Lacet; João Rafael Silva de Azeredo; do Colégio Santa Úrsula, e Matheus Homrich, do Colégio SEB.

Feito histórico – É a primeira vez na história da OBMEP que a rede estadual alagoana tem mais de um medalhista de ouro na competição: até então, as escolas estaduais tinham alcançado ouro em 2008, com José Maurício Lima de Melo, da Escola Estadual Padre Francisco Correia, de Santana do Ipanema, e, em 2016, com Pedro Lucas Lima, pela Escola Estadual Margarez Lacet.

O vice-governador e secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, comemorou o resultado. “Quero parabenizar os alunos e professores pelo resultado das provas da OBMEP. O resultado desse ano foi o melhor de toda a série histórica para a rede pública estadual. Isso significa que estamos no caminho certo. Vamos continuar perseverando para dar à nossa juventude a educação que ela merece”, frisou.

Luciano lembrou ainda que os investimentos empreendidos pela Seduc para a melhoria do ensino de matemática na rede estadual, o que inclui a implantação de aulas aos sábados.

Além disso, foram realizadas oficinas junto aos professores de matemática da rede estadual por meio de uma parceria entre as Gerências Regionais de Educação (Geres) e o coordenador da OBMEP em Alagoas, professor Adelailson Peixoto, do Instituto de Matemática da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Adelailson, por sua vez, lembra que o estado teve 74 municípios com pelo menos um aluno premiado. “Nesta edição, batemos recorde de premiações, com aproximadamente 700 alunos premiados com medalha ou Menção Honrosa, o que mostra que os estudantes alagoanos estão assimilando cada vez mais a Matemática. Todas as Geres tiveram alunos premiados e, no decorrer do ano, tivemos uma parceria importante com as Gerências, onde pudemos realizar formações para 600 professores”, contou Adelailson.

Rede estadual – Ao todo, a rede estadual alagoana contabilizou 27 medalhas na Olimpíada, sendo dois ouros, uma prata e 24 bronzes.

A medalha de prata foi conquistada por Ezequiel de Braga Santos, da Escola Estadual Álvaro Paes, de Coité do Nóia, a maior vencedora da história da OBMEP na rede estadual.

Já o bronze foi conquistado pelos estudantes José Ryanda Silva, do Colégio Tiradentes Arapiraca; Nycolas Silva de Almeida, do Colégio Tiradentes, de Arapiraca; Amon Chalegre Gomes Vanderlei, da Escola Estadual D. Pedro II, de Maceió; Karen Soares de Souza, da Escola Estadual Professora Rosalva Pereira Viana, de Maceió; Carlos Eduardo da Silva Aguiar, da Escola Estadual Professora Maria Lúcia Lins de Freitas, de Maceió; Gabriela Mendes Teles da Silva, da Escola Estadual Manoel de Araújo Dória, de Maceió; Lívia Caroline Barbosa Almeida, do Colégio Tiradentes Arapiraca; Artur dos Anjos Santos Rodrigues, do Colégio Tiradentes Maceió; Danilo Rodrigues de Azevedo, da Escola Estadual Rosalvo Lobo; Cinthia Maria Gomes Paulino, da Escola Estadual Egídio Barbosa, de Palmeira dos Índios; Luana Marina Santos Ferro, da Escola Estadual Rotary, de Arapiraca; Rayssa Thyelle da Silva Leite, da Escola Estadual Fernandes Lima, de Maceió;  Cindhy Glauciele de Lima Rodrigues, da Escola Estadual Professor José da Silveira Camerino, de Maceió; Gabriela Barbosa Souza, da Escola Estadual Almeida Cavalcanti; de Palmeira dos Índios; Robert Rodrigo Oliveira Costa, da Escola Estadual Laura Chagas, de Santana do Ipanema; José Cardoso da Silva Filho, da Escola Estadual Delmiro Gouveia, de Delmiro Gouveia; José Guilherme Rocha Pimentel, da Escola Estadual Aristheu de Andrade, Colônia Leopoldina, de Colônia Leopoldina; José Rodrigo Souza da Silva, da Escola Estadual Juvenal Lopes, de Branquinha; Mateus Pereira Araujo, da Escola Estadual Elza Soares Cavalcante, de Quebrangulo; Thiago Rocha dos Santos, da Escola Estadual Laura Chagas, de Santana do Ipanema; João Victor Ferreira da Paz, da Escola Estadual Maria Cândida da Silva, de Pindoba e José Edson da Silva Barbosa e Sara Maria da Silva Melo – ambos da Escola Estadual Senador Rui Palmeira (Premen), de Arapiraca.

A rede estadual ainda foi premiada com o professor Josué Lourenço de Alcântara, da Escola Estadual Álvaro Paes, de Coité do Noia e com as escolas Dorgival Gonçalves, de Campo Alegre; Rubens Nunes de Oliveira, de Inhapi; Paulo Jorge, de Maceió; Padre Cabral, de Maceió; Egídio Barbosa, de Palmeira dos Índios; Elza Soares, de Quebrangulo; Padre Teófanes, de São José da Laje e Escola Estadual do Caboclo, de São José da Tapera.

Ascom – 04/12/2019

(Visited 1 times, 1 visits today)